Sunday, November 16

O CÓDIGO DA CEMIG






Estava vindo com o Chiquinho e mais três pessoas por uma rua movimentada.
A gente ia conversando. Passamos por um local onde havia muito movimento de carro e tinha um guarda de trânsito controlando o mesmo. Onde este guarda estava era o final da rua. Assim, os carros tinham que fazer a curva para a outra rua. O guarda só ficava mandando eles seguirem em frente, pois a rua era de mão unica. No final desta rua tinha uma parede de concreto de uns dois metros de altura, visto que abaixo desta parede passava outra rua que ficava a uns 10 metros desta. Encostado nesta parede de concreto havia algumas placas com nomes de cidades e distância que esta se encontravam. Nenhuma cidade marcada ali era a que eu queria ir. As pessoas que estava comigo começaram a falar sobre distâncias de cidades e porque a cidade de Coritiba no Paraná não estava marcada ali. Então eu disse que para ir para o Paraná a gente tinha que ir para o outro lado da cidade de onde a gente estava. Que ali só marcava as cidades que iam naquela direção. 
Chegamos em uma ponte onde na passarela para pedestres desta ponte, de ambos os lados, tinha uma fila grande que atravessava toda a ponte. paramos nesta fila, já que tínhamos que atravessá-la. Nisto vi que muitos ali estava com camisa dos times do Cruzeiro e do Atlético. Percebi que eles estavam ali para comprar ingressos para o jogo da decisão da Copa do Brazil. Então disse que não podia falar para qual time ia torcer, porque o Fernando torcia para o Atlético e a Nathalia para o Cruzeiro. Mas a gente só queria atravessar a ponte para pegar o carro e ir embora. 
Nisto chegou uma pessoa que organizava a fila e pediu para a pessoa que estava na nossa frente, que era uma mulher, o número do código da Cemig. Esta moça pegou a conta da Cemig e não conseguia localizar o código. Então ela disse que o código estava anotado no celular dela e me deu o celular para olhar, pois ela ia atender o outro celular. Ela falava ao celular e eu tentava ver o códio. Mas o celular tinha um risco verde no meio que atrapalhava eu ver o código que estava escrito ali. Com muito esforço consegui ver o código que era 1140915. Passei o código para a pessoa que anotou em um papel. Nisto vi que a fila já tinha andando e não havia mais ninguém na ponte. Atravessamos a ponte e fomos embora.

THYMONTHY BECKER COMUNICAÇÃO

Sunday, November 9

ENCURRALADO






Estava vindo com uma sacola na mão onde tinha extensões elétricas.
Vinha com esta sacola para trocar estas extensões em uma loja elétrica que tinha na rua Pernambuco, mais ou menos no meio do quarteirão. Só que vim por dentro do quarteirão, saindo na porta da frente da loja, como se esta fosse ligada ao quarteirão de cima. Próximo a porta de entrada da loja, mas do lado de dentro, visto que vim dos fundos, vi que a loja elétrica do outro lado da rua estava fechada. Vi que tinha perdido a viagem e que teria que voltar ao meu apartamento para guardar as extensões. Dois homens se aproximaram de mim, também vindos dos fundos da loja. Perguntei a um deles porque as lojas estavam fechadas. Disse que queria ir ao cartório, que ficava ao lado da loja elétrica. Não Quiz dizer que estava indo na loja elétrica. Eles começaram a rir e então vi que o cartório estava aberto. Em uma das mãos segurava as chaves do meu apartamento, quando um destes homens pegou a chave da minha mão. Mas eu não a soltei e ele ficou puxando meu braço. Nisto o outro homem, que era meio gordo, veio empurrando meu braço, tentando passar. Mas eu não soltava a chave. Até que disse que precisava pegar o ônibus. Então ele soltou a chave e fui para o ponto que ficava em frente a esta loja que eu estava. 
O ônibus parou ali e eu entrei. Entrei e já queria da o sinal para descer neste mesmo ponto. Um homem meio gordo que estava de pé no ônibus ao meu lado, foi pegar uma criança e me espremeu no canto do ônibus. Eu não conseguia me mexer e estava querendo dar o sinal para descer e não conseguia. Nisto o ônibus saiu e então reclamei com o homem que tinha que descer mas não conseguia me mexer. Depois que pegou a criança o tal homem desencostou de mim e pude dar o sinal para descer do ônibus e voltar para casa.
VALEU PELA VISITA - SEMPRE