Friday, December 14

O CACHORRO PEDINDO "COLINHO"

-->
Estava em uma casa onde acontecia uma festa. Havia muitas pessoas nesta casa, inclusive alguns de meus irmãos. As pessoas conversam e riam muito, como numa festa mesmo. Havia ali um  pequeno corredor que deveria ter no máximo dois metros de comprimento com parede ao fundo, na lateral esquerda deste corredor havia uma porta que era do banheiro. O Vitinho estava encostado na parede no final deste corredor com um copo na mão, tomando coca cola. Queria ir ao banheiro e fui até ele para ver se estava desocupado. A chave da porta estava na fechadura do lado de fora, indicando que não havia ninguém lá dentro. Tirei a chave e entrei. Quando fui fechar a porta o Vitinho entrou também. Pedi a ele para sair porque eu não ia ao banheiro com ninguém me olhando. Ele saiu. O banheiro era pequeno, deveria ter uns tres metros por dois. Assim que fechei a porta vi outra pessoa dentro do banheiro. Falei que assim não dava, não conseguia ir ao banheiro sem ninguém ficar olhando. A pessoa abriu a porta  e saiu. Fiquei imaginando com ele tinha entrado e como tinha aberto a porta se eu a tinha fechado com a chave. Fechei a porta novamente e quando me viro vejo o Tonhão, meu irmão, encostado na parede perto do espelho. Desisti de ir ao banheiro e fui escovar os dentes. O Tonhão estava me olhando. Pensei que não podia nem escovar os dentes sem que ninguém me olhasse. Nisto vi que perto do Tonhão havia outra porta. Então decidi sair por ela. Esta porta dava em uma pequena escada que descia um metro mais ou menos e dava em uma garagem. Esta garagem deveria ter uns cinco metros de largura por uns tres de comprimento. A frente dela era toda de grade. Ao lado da escada, separado um metro mais ou menos havia uma rampa de um metro. Assim entre a escada e a rampa ficou um quadrado de um metro por um mais ou menos. Era noite e estava chovendo muito. 
A garagem estava totalmente escura. Olhando para fora pude ver que esta casa era de contra-esquina. Do outro lado da rua em uma esquina e debaixo da marquise, havia no mínimo uns vinte cachorros mais aqueles bichos do filme Madagascar. O Leão, a Zebra, o Hipopótamo e a Girafa. Os cachorros eram cachorros mesmo já os bichos do filme eram desenhos. Ao fazer um barulho para me deitar naquele espaço entre a escada e a rampa, os cachorros vieram todos correndo até a garagem. Juntos vieram os bichos do filme Madagascar. Eles se movimentavam ao mesmo tempo na mesma velocidade, como se estivessem unidos. Os cachorros mais o Leão e seus amigos, chegaram à grande desta garagem, mas devido à escuridão não conseguiam ver lá dentro. Eu não queria abrir a garagem porque não caberiam todos ali. Então voltaram para debaixo da marquise do mesmo jeito que vieram, todos de uma vez e na mesma velocidade. Estava com muito sono e não conseguia abrir os olhos direito. Deitado e encolhido naquele pequeno espaço, puder ver com os olhos pouquíssimo abertos e entre os meus cílios, os animais deitados debaixo da marquise para se protegerem da chuva que era muito forte. Eu não conseguia me mexer de tanto sono. Nisto a porta da escada abriu novamente e os bichos com os cachorros, vieram correndo novamente até a garagem. Fiquei quietinho para não me virem. Assim eles retornaram para debaixo da marquise. Então pude ver o que tinha entrado ali era um cachorro grande, preto que ficou sentado aos meus pés. Depois que os bichos voltaram para debaixo da marquise, este cachorro veio para perto do meu rosto, fazendo aquele ruído que cachorro faz quando quer alguma coisa da gente e dizia neste murmúrio, "colinho"! "colinho". Quando o cachorro fazia este ruído de quando quer alguma coisa, saia a palavra "colinho", o que eu entendia era que ele queria que eu o pegasse no colo. Então, de olhos fechados porque estava com sono demais, disse que não tinha nada de colinho, que eu queria dormir e não ia pegar cachorro nenhum no colo. "Mas o cachorro continuou dizendo "colinho" " colinho", Então disse que não ia nem responder. Então o cachorro foi se acomodando junto a mim e ficou deitado encostado em mim com a cabeça em minha barriga. Ai dormi.

No comments:

Post a Comment

VIVER EH A MAIOR DE TODAS AS AVENTURAS