Skip to main content

ENSACANDO BATATAS E VELEJANDO NO LAGO


--> Estava em um local onde estavam ensacando batatas. Eram batatas inglesas. Só que os sacos eram do tamanho dos que comumente ensacam batatas, mas eram feitos de plástico. Estava perto da máquina que estava ensacando estas batatas. Porém, este saco era aberto de ponta a ponta, ficando comprido, preso apenas pelo fundo. Ao passar num certo ponto da máquina, caiam batatas somente na metade deste saco e a maquina trazia a outra metade para cima das batatas e fechava o saco a vácuo. Ficando as batatas totalmente presa e não se mexiam. Mas só ficavam aquelas batatas, nenhuma ficava em cima da outra. Dois homens iam pegando as batatas já ensacadas e iam empilhando. Eles pegavam como se pegam um quadro de pintura. O empacotamento a vácuo tornava o saco plástico firme e ele não se dobrava.
Da pilha de batatas que estavam empilhando, outro homem pegava e colocava em um caminhão. Sai dali, entrei em um carro e fui dirigindo até um local onde dois carros arrastavam um barco. Disse para o dono do barco que poderia ter me chamado que eu ajudaria a arrastar o barco também. O barco estava sendo arrastado em cima de um gramado. Ele disse que não tinha me encontrado. Sai dirigindo o carro e fui indo por uma estrada de terra descendo um morro até que cheguei num grande lago. Quando cheguei ali aquele homem do barco já estava velejando no lago.

Comments

Most visited posts

CORRENDO VELOZMENTE DO BICHO ESTRANHO

A JANELA DE VIDRO

FIM DE SEMANA NO SÍTIO

TROCANDO A FRALDA DA CRIANÇA

DE JOELHOS NO CHÃO

SUBINDO O MORRO

ATRAVESSANDO OS FILHOTES DE CACHORRO

A CHUVA. OS CEM REAIS E A GOSTOSA DA JAQUELINE

REBOCANDO A PAREDE

BUEIRO ENTUPIDO