Wednesday, August 20

A GALINHA, A BICICLETA E O HOSPITAL

 Eu estava na Rua Goiás com Avenida primeiro de Junho. Alguém serrou um pedaço de uma cama e me deu para sapecar uma galainha que tinham matado e já depenada. Quando a coloquei sobre o fogo para sapecá-la, ela ficou batendo assas e tentou voar. Então eu disse que a galinha não estava morta ainda. Nisto apareceram várias pessoas e tentaram colocar a mão na minha boca. Eu então fiquei mordendo a mão destas pessoas. Fui para Avenida Getúlio Vargas, dirigindo um carro prata, e queria ir ao Hospital São João de Deus. Quando passei perto do primeiro posto, uma pessoa gritou perguntando se podia morar comigo por seis meses. Eu acelerei o carro e quando vi estava na Rua Oeste de Minas, que dá acesso ao bairro Niterói. Tentei frear quando cheguei a João Notíni, para virar a direita, indo para o hospital, mas o freio não pegou. Eu virei assim mesmo e sai na frente da caminhonete que vinha na João Notini. Quase batemos. Continuei acelerando e quando vi estava numa rua estreita. Então percebi que era uma rua do bairro Niterói. Depois vi a frente, peças de carro e pneus espalhados. Então mirei para passar entre eles. Quando passei, esbarrei num pneu que saiu rolando. Então percebi que eu estava numa bicicleta e em cima do passeio. Então imaginei que se o dono das peças achasse ruim, diria que passeio não é para colocar as peças. Continuei na bicicleta até a entrada do Hospital São João de Deus, que estava diferente do que é realmente. Fiz força para pedalar e vi que o pneu da frente estava furado. Fui empurrando a bicicleta e pensando como faria, pois não tinha trago às ferramentas para trocar o pneu. Depois sabia que tinha que levar a bicicleta para o meu irmão Ricardo. Então pensei em ir empurrando a bicicleta pela rua de trás do hospital, que leva ao bairro Porto velho. Quando percebi estava na garagem da casa da Dona Judit. Fiquei me perguntando o que eu fazia ali. Então decidi que iria parar ali e depois levaria a bicicleta para meu irmão. Quando fui encostar a bicicleta na parede, ele já era uma bicicleta desta de fazer acrobacia, a roda da frente era pequenininha e a de trás bem grandona. Então sai carregando a bicicleta para dentro da casa da dona Judit.

No comments:

Post a Comment

VIVER EH A MAIOR DE TODAS AS AVENTURAS