Monday, March 3

O DENTISTA






Estava indo por um passeio, em direção a um consultório dentário.
Quando cheguei neste consultório, vi algumas pessoas do lado de fora. este consultório parecia mais um pequeno hospital. A entrada era tipo um corredor largo, arborizado de um lado e a construção do outro. A atendente ficava em uma janela que havia mais ou menos no meio desta construção. Havia duas entradas para ser atendido pelo dentista. Fui até a atendente que me disse que eu seria atendido um pouco mais tarde, porque o dentista que ficava a direita seria o que me atenderia. Fiquei ali olhando e percebi que o dentista da esquerda atendia as pessoas rapidamente, mas nada do dentista da direita chegar. Voltei na atendente e lá ela disse que ela já chamaria. Nisto o dentista apareceu chamando meu nome e depois entrou para este consultório que parecia hospital. Fui pedindo licença às pessoas para poder passar e entrar no consultório. Quando entrei, vi um jardim bem grande, todo gramado. Algumas pessoas seguiam por este jardim em direção a uma construção que havia no alto deste. Parecia uma casa. Fui seguindo aquelas pessoas e imaginando que o atendimento iria demorar, pois chamaram todas as pessoas que seriam atendidas por ele, de uma única vez. 
Quando chegamos naquela construção, que seria o consultório do dentista, todas as outras pessoas saíram para a lateral daquele prédio e só eu entrei  na sala de espera. Quando entrei vi que tinha duas mulheres sentadas ali. Uma deveria ter uns 60 anos e a outra, que deveria ser sua filha, deveria ter uns 25.   Sentei em uma outra cadeira, perto das duas e vi que tinha uma água escorrendo no pé da cadeira. Olhei e vi que a água vinha de um cano que vazava na parede. Fui olhar o cano e vi que tinha uma outra entrada para aquele consultório, que estava próxima da rua. Fiquei tentando entender porque eu entrei por um local longe dali, tive que atravessar um grande jardim, subindo um morro, se tinha uma entrada por outra rua. Então imaginei que eu deveria estar em outro consultório dentário e não no que eu queria. Olhei a entrada e vi duas mulheres descendo a rampa de acesso e um homem subindo a mesma. Fiquei pensando se eu iria embora ou não.

No comments:

Post a Comment

VIVER EH A MAIOR DE TODAS AS AVENTURAS