Skip to main content

INTERAJINDO COM A CENA

Estava indo em um grande correndo, aberto, todo cimentado. Neste corredor havia alguns buracos pequenos, como se fossem bueiros, para saída da água da chuva. Caminhava por esta imensa avenida cimentada, carregando uma criança no colo. Na minha frente ia o Fernando, que estava com 3 anos. Eu ia sempre dizendo a ele para pular os pequenos buracos, do contraria ele poderia cair. Nisto ele pisou num destes buracos, desequilibrou e caiu. Então disse a ele que era para ficar olhando para o chão. Nisto o corredor de cimento foi se fechando, ficando com uns dois metros de largura e foi surgindo nas laterais, paredes de vidro. Até que eu não conseguia andar mais. Numa das paredes de vidro, passava imagens como se fosse televisão. Nisto, alguém começou a narrar, dizendo que aquelas imagens eram do programa Fantástico, da Rede Globo. Mas que agora, quem assistisse o Fantástico, imaginaria estar dentro da cena. Então um feixe de luz colorida começou a percorrer o tal corredor, e quando chegou a mim, fiquei sem respirar. Por mais que tentasse, não consegui respirar. Até que o feixe passou e voltei a respirar. Então me vi dentro da cena que passava, como se eu fizesse parte dela.

Comments

Most visited posts

CORRENDO VELOZMENTE DO BICHO ESTRANHO

A JANELA DE VIDRO

FIM DE SEMANA NO SÍTIO

TROCANDO A FRALDA DA CRIANÇA

DE JOELHOS NO CHÃO

SUBINDO O MORRO

ATRAVESSANDO OS FILHOTES DE CACHORRO

A CHUVA. OS CEM REAIS E A GOSTOSA DA JAQUELINE

REBOCANDO A PAREDE

BUEIRO ENTUPIDO