Monday, July 25

O CORDÃO DE OURO


Estava num local, que seria uma empresa em Betim/MG. Perguntava a uma pessoa sobre algo que eu precisava. Ela dizia que eu encontraria na Engequisa. Disse que trabalhava na Engequisa e não poderia pegar lá. Então fui indo embora, passando pela Rua da Engequisa. Decidi então entrar e tentar conseguir o que queria. Ao entrar, vi que estava totalmente diferente do que eh realmente. Era um terreno grande, comprido e largo. Do meu lado esquerdo, havia uma construção de uns 3 metros de largura e ia por toda a extensão do terreno. Nesta construção, as janelas eram de vidro fumê. Fui passando até o final desta construção, onde havia dois homens ali perto, sentados no chão. Entrei na ultima porta e vi uma pessoa trabalhando numa bancada. Fui até ela, pedir o que eu precisava. Ela me arrumou o que eu pedi. Fui saindo dali, passei pelos dois homens, quando percebi que tinha deixado meu boné para trás. Voltei para pega-lo, vi ele no chão perto dos dois homens. Quando fui pegar, vi que tinha um cordão de ouro, deste de pendurar no pescoço, amarrado em ambos os lados dele. Um dos homens que estava ali, disse que era para quando eu colocar o boné, o cordão já ficava pendurado. Disse que não gostava de usar cordão no pescoço, nem qualquer outra coisa pendurada. Ele então pegou meu boné, abaixou segurando-o pelas laterais e pediu ao outro homem que subisse no cordão, porque ele iria atirá-lo para cima, para ele dar cambalhotas no ar. Fiquei pensando que o boné iria rasgar, pois não suportaria o peso do homem. Mas o tal homem ao subir no cordão de ouro, foi atirado para cima pelo outro homem. Ele deu umas cambalhotas no ar e caiu de pé no chão. Peguei meu boné, tirei o cordão de ouro, entreguei ao tal homem e fui embora.

No comments:

Post a Comment

VIVER EH A MAIOR DE TODAS AS AVENTURAS