Saturday, December 26

ANOMALIA SISTÊMICA

Estava num local, que parecia ser um grande galpão de uma grande indústria. Estava ao lado de um pote de vidro, que deveria ter uns 50 centímetros de altura. Dentro deste pote havia uma árvore em miniatura, que vinha até a borda. Lá no fundo vi uma pequena lesma preta, com cara de urso. Ele se arrastejava. Então fiquei pensando que o urso em miniatura que tinha ali, havia morrido. Imaginei que talvez tivesse outro ovo ali e nasceu. Este urso lesma começou a beber água que havia no fundo do pote. Nisto ele começou a crescer. Apareceram os braços. Nisto ele começou a subir por aquela árvore. Continuou crescendo e ficou pendurado num ganho, tentando subir. Havia alguns espinhos nesta árvore em miniatura. Ele foi tocando com as patas, para ver se tinha espinho e continuou subindo. Nisto ele chegou na boca do pote, mas já tinha o formato de uma criança em miniatura, que usava apenas uma fralda. Esta criança pulou do pote e sai correndo. Havia uma escada que ia até o telhado do galpão, que era feito de folha de zinco. Esta escada estava ali, porque alguém tinha ido lá em cima, tampar um buraco que havia no telhado. Esta criança começou a subir esta escada, e quando chegou lá em cima, já era um homem. Ele retirou o pedaço do telhado que alguém havia colocado lá, para tampar o buraco, e saiu por ele. Nisto chegou alguém perto de mim, dizendo que tinha as fotos do homem que saiu pelo telhado. Disse a pessoa que veio me mostrar as fotos: __Mas já?—ele acabou de sair. Esta pessoa então disse que eu não tinha feito nada para impedi-la de sair. Nisto ouvimos um grito e fomos ver o que era. Pouco adiante tinha uma lagoa, de onde saia uma espécie de cobra, que deveria ter uns 5 metros, mas a cara era de bicho. Havia várias delas. Elas atacavam os bichos que estavam ali bebendo água. Onde elas mordiam, partiam ao meio. Elas mordiam os bichos que estava ali e mordiam umas as outras também. Esta pessoa que estava do meu lado me chamou para ajudar os bichos. Disse a ela:
--Eu que não vou arriscar minha vida. Quero viver pelo menos mais 80 anos. —
Sai correndo dali e fui embora.

No comments:

Post a Comment

VIVER EH A MAIOR DE TODAS AS AVENTURAS