Skip to main content

APAGANDO AS PEDRAS DO JARDIM


Estava num quarto que ficava no segundo andar de uma casa. Havia uma mulher deitada na cama de casal e algumas outras pessoas sentadas por ali. A mulher da cama dizia para as outras pessoas, que eu não acentuava as palavras ao falar. Eles riram de mim. Eu dizia que não acentuava as palavras, para ficar mais fácil das pessoas entenderem. Nisto cheguei ao que seria um jardim de inverno que tinha na janela do quarto. O piso deste jardim era de pedra de calçamento. Lá em baixo, vi quatro camas de solteiro com quatro mulheres deitadas e cobertas. Fiquei pensando porque elas não estariam vibrando por eu aparecesse na janela. Nisto, coloquei o pé em uma das pedras daquele jardim de inverno, mas ela caiu lá em baixo. Depois coloquei em outra, pois eu queria apagar tudo. Quando eu colocasse o pé na pedra, deveriam aparecer escrito as opções do que eu queria fazer, assim como quando a gente coloca a seta do mouse do computador, numa foto por exemplo. Aparecem todas as opções do que podemos fazer. Fiz isto em duas outras pedras, tocava com o pé, mas a lista do que podia fazer não aparecia, desiste de apagar as pedras e me verei para dentro do quarto novamente, quando vi que as paredes estavam com papel de parede, sendo que antes não havia. As pessoas ali continuavam rindo do fato de eu não acentuar as palavras ao falar.

Comments

Most visited posts

CORRENDO VELOZMENTE DO BICHO ESTRANHO

A JANELA DE VIDRO

FIM DE SEMANA NO SÍTIO

TROCANDO A FRALDA DA CRIANÇA

DE JOELHOS NO CHÃO

SUBINDO O MORRO

ATRAVESSANDO OS FILHOTES DE CACHORRO

A CHUVA. OS CEM REAIS E A GOSTOSA DA JAQUELINE

REBOCANDO A PAREDE

BUEIRO ENTUPIDO