Sunday, November 8

BALANÇANDO COM OS CACHORROS OLHANDO


Estava numa rua estreita. Deveria ter uns 5 metros de rua só. O calçamento era pedra. Estava na varanda da casa e segurava uma tubulação que sustentava esta tubulação. Segurava coma mão direita, deixando o corpo caindo. Como ficam as crianças. Segurando com uma mão e balançando o corpo. Perto de mim tinha um cachorro amarelo, pequeno, que ficava me olhando. Tipo aqueles que latem muito. Nisto passou uma pessoa e perguntou se podia deixar o cachorro dela vir brincar com o meu. Disse que não tinha problemas. Havia uma mulher perto de mim, sentada na beira do passeio. Continuei balançando naquela varanda, quando vi que vinha correndo um cachorro igual ao que estava perto de mim, só que este era preto. Ele veio, pulou no meu braço que eu balançava. Ficou agarrado na manga da camisa. Então disse a ele que era para brincar com o outro cachorro e não comigo. O cachorro então pulou e ficou ao lado do que me olhava. Então disse para a tal mulher que estava sentada ali, que se a gente deixar o cachorro brincar com a gente, o cachorro gosta e nunca mais vai embora. E continuava segurando a tubulação, balançando o corpo.


No comments:

Post a Comment

VIVER EH A MAIOR DE TODAS AS AVENTURAS